fbpx
Comportamento-Empreendedor-em-Redes-de-Franquias

Comportamento Empreendedor em Redes de Franquias

É possível ter franqueados com desempenhos muito diferentes em regiões semelhantes e sabe-se que, para além de questões econômicas e de mercado, para além de conhecimentos sobre gestão de negócios ou experiência no segmento de atuação, o comportamento do franqueado pode ser determinante para o sucesso do negócio.

Para 58% das redes, a maior de todas as dificuldades é o “perfil do franqueado inadequado para o negócio” e para 40% esse perfil inadequado é o principal motivo de fechamento da franquia (dados da Pesquisa de Benchmark). Esses números levantam indagações pertinentes sobre problemas comportamentais nas redes de franquias.

Estudos mais recentes da Praxis Business mostram que alguns traços de personalidade podem até contribuir para que alguns franqueados sejam mais proativos e tenham mais atitude do que outros, mas não são os fatores determinantes. A experiência com treinamentos de franqueados também demonstra ser possível, entre qualquer personalidade ou perfil comportamental, o desenvolvimento das habilidades necessárias para gerenciar uma franquia.

Entre elas: estabelecimento de metas, orientação para resultados, capacidade de lidar com as mudanças. Promover treinamentos que aliem hard skills (habilidades cognitivas como gestão de finanças, pessoas e vendas) às soft skills (competências socioemocionais como a capacidade de resolução de problemas e gestão de relacionamentos) parece uma solução mais eficaz do que o argumento de que os negócios não deram certo devido a um “perfil inadequado de franqueado”.

Para a Praxis Business, não existe um único “perfil ideal” de liderança para franqueados. É possível formar e desenvolver pessoas. Com treinamentos que utilizem metodologias ativas de aprendizagem, com programas de excelência, bom relacionamento e alinhamento de expectativas, chega-se a uma mudança de comportamento.

Franqueados capacitados no âmbito do empreendedorismo fortalecem a cultura colaborativa e cultivam o crescimento, multiplicam as boas práticas, desejam contribuir para melhorar o desempenho das outras franquias, inspiram e contagiam a Rede. Por todos esses motivos, é importante que a Franqueadora se disponha de programas que privilegiem essa troca de know how, de compartilhamento de conhecimentos, canais de comunicação eficazes e também iniciativas de reconhecimento. Uma política de gestão de consequências deve determinar os comportamentos que mais contribuem para o desempenho e os resultados dos franqueados.

De outro lado, temos o papel da educação empreendedora. Conhecimentos devem ser compartilhados de modo colaborativo e coletivo, privilegiando a vivência prática, a criatividade, com forte embasamento teórico e científico. Isso inclui aplicações de jogos de negócios, simulações com os principais desafios de uma franquia, estudos de caso, atividades lúdicas. Abrange, ainda, o Blended Learning, com tecnologia flexível, conteúdo acessível e atualizado. O processo de aprendizado do Franqueado tem de ser semelhante à experiência do cliente: Envolvente!

*** O texto completo foi publicado em nosso mais recente White Paper (Praxis Club – 7ª edição) que traz 10 artigos com conteúdos riquíssimos sobre o tema central: Confiança, Conexão, Comportamento. Você pode baixar o material neste link: http://www.praxisbusiness.com.br/media/Whitepaper_Praxis%20Club.pdf

 

Adir Ribeiro é Presidente e Fundador da Praxis Business