fbpx
Importância da Capacitação nas Redes de Franquias

Tendências do EAD para Redes de Franquias

Diante do ecossistema digital que está modificando nossa relação com os clientes e reconfigurando todas as esferas das organizações, é preciso lançar um novo olhar acerca da Educação Corporativa e considerar as potencialidades da aprendizagem colaborativa por meio do ensino a distância (EAD).

Vale, assim, a indagação: Como ensinar e aprender no mundo virtual? De que maneira as Franqueadoras podem compartilhar conhecimento e treinar a rede mediadas por novas tecnologias, ao mesmo tempo em que, por meio de práticas interativas em dispositivos digitais, mantêm-se abertas e disponíveis para a troca de experiências entre seus franqueados?

Em um contexto de mercado imprevisível, ágil e competitivo, as Franqueadoras sabem que é imperativo reduzir o descompasso entre a cibercultura e a capacitação da Rede. As interfaces digitais possibilitaram reunir Franqueados geograficamente dispersos e distribuir conteúdo em tempo real, com redução de custos. Capilaridade, agilidade e viabilidade são alguns dos principais benefícios dos treinamentos na modalidade a distância, a fim de atingir objetivos estratégicos para a Rede por meio de um melhor desempenho dos Franqueados.

Investir no recurso humano, no capital intelectual dos Franqueados e dos funcionários, como vantagem competitiva, como se sabe, não é uma estratégia nova no Franchising. Se as universidades não estão moldadas para as exigências do mercado, se parte dos franqueados são inexperientes em gerir negócios, se não dominam conhecimentos de gestão financeira, ou se desconhecem técnicas de vendas e de negociação, espera-se que os treinamentos propostos pela Franqueadora supram, ao menos, estes requisitos básicos e eventuais lacunas na formação para operar uma franquia e obter sucesso. A novidade agora é que o uso de dispositivos digitais para fins de desenvolvimento de competências para o negócio é tendência sem volta, ressignificando a forma de trabalhar a capacitação de Franqueados e dos funcionários da unidade, gerando mais produtividade e competitividade.

Novas tecnologias pedem novas linguagens, e o EAD deve ser pensado como um lugar de encontro colaborativo, participativo, interativo. Ou seja, como um espaço vivo de criação e de proatividade, no qual os Franqueados possam interagir e compartilhar saberes. Isso com uma variedade de meios, com fóruns de discussão, com videoaulas, conteúdos visuais e textuais, registros, imagens, questionários, entre outras possibilidades para gerar mais fluxo de conhecimento dentro da rede.

O processo de aprendizagem de adultos também deverá ser levado em conta. Adultos são motivados a aprender conforme suas necessidades e interesses próprios, por isso, a orientação para a aprendizagem é centrada em resolver problemas e compartilhar experiências. As trilhas de conteúdos deverão privilegiar a resolução de problemas, estudos de casos, exercícios de simulação, ferramentas e exemplos que façam parte do cotidiano profissional do treinando, gerando estímulos para que ele veja sentido no que está fazendo, esteja disposto a investir seu tempo e possa colocar rapidamente em prática as novas competências e enfrentar situações reais.

Frente a essa realidade, é importante que os objetivos de capacitação estejam muito claros, explicitando o que será ensinado, como e o porquê será ensinado, bem como o valor intrínseco e a recompensa pessoal. Faz-se imprescindível que os conteúdos sejam relevantes, interessantes, atualizados e distribuídos de maneira atraente. Entregar doses pequenas de conteúdo, pílulas de conhecimento, favorece o engajamento. Ou seja, estamos falando sobre a tendência do microlearning, com videoaulas de 2 a 5 minutos, de conteúdos divididos em módulos, para que os profissionais possam ir se atualizando aos poucos, sem grandes impactos na rotina de trabalho. Cada qual acompanha o treinamento no seu tempo, quando quer e da maneira que desejar. Neste sentido, vale ressaltar o papel do EAD multiplataforma, para que acesse o conteúdo também onde ele quiser, oportunizando a qualificação contínua.

Na construção das trilhas de conteúdo, vale considerar quais são os pilares estratégicos para a rede, o que é importante ensinar, bem como o que é importante para o dia a dia nas franquias, dando ênfase ao que é essencial. Mais do que conhecer conceitos e ferramentas, sugerimos que os conteúdos corroborem para o desenvolvimento de atitudes e posturas, impactando no modo de agir, de tomar decisões e de liderar. Assim, a trilha de conhecimento, também no EAD, deve favorecer não só o desenvolvimento de habilidades cognitivas (hard skills), como também as competências socioemocionais (soft skills).

Um conteúdo relevante, atualizado, interessante e que possa ser aplicado é o que vai garantir engajamento efetivo e baixo índice de evasão. Mas para estimular conteúdos complementares e incentivar a Rede, vale propor estratégias de gamificação, com desafios e sistemas de recompensas.

   Fique atento às tendências do EAD em Redes de Franquias:

  • Compartilhe conhecimento atualizado, relevante e alinhado aos desafios reais nas franquias;
  • Distribua conteúdos de acordo com o perfil de cada público de profissionais (Franqueado, Gerentes, Vendedores);
  • Gerencie todos os conteúdos em uma única plataforma tecnológica;
  • Considere o microlearning;
  • Construa espaços colaborativos que permitam interação e troca de experiências;
  • Construa uma plataforma de ensino que seja atrativa, de fácil acesso e que acelere a aprendizagem;
  • Andragogia: Não se esqueça de atender aos processos de aprendizagem do público adulto;
  • Blended Learning: mescle encontros virtuais e presenciais;
  • Gamifique o conteúdo extra, para gerar mais engajamento;
  • Entregue conteúdos não só de Hard Skills, mas também de Soft Skills;
  • Tenha acesso constante aos relatórios, acompanhe e mensure os resultados dos treinamentos on-line.

Marília Saveri, sócia-gestora de EAD e Marketing