Capacitação de Franqueados e desenvolvimento de Soft Skills

 O desenvolvimento de habilidades gerenciais (hard skills) e de competências socioemocionais (soft skills) são fundamentais para formar franqueados talentosos e com mais probabilidade de sucesso nos negócios. Organizações de todos os segmentos e tamanhos aspiram ser reconhecidas como inovadoras, criativas e ágeis. No mercado de hoje, no qual tantas empresas batalham desvairadamente para concorrer com as startups, a solução parece ser reunir líderes proativos, apaixonados e que se adaptam rapidamente às mudanças.

Vivemos no Brasil a “era do empreendedorismo”. Essa tem sido uma alternativa diante das altas taxas de desemprego nos últimos anos. Para criar seu próprio emprego, o brasileiro aposta cada vez mais em pequenos empreendimentos que lhe garanta uma renda. Esse é o chamado “empreendedorismo por necessidade”, que tem feito aumentar a quantidade de micro e pequenas empresas no país. O empreendedorismo se torna cada vez mais relevante para a economia brasileira e o termo “líder empreendedor” parece ser uma prerrogativa para quem quer alcançar resultados.

As competências gerenciais (hard skills) são cruciais e dentre essas podemos destacar gestão de finanças, gestão de pessoas e gestão de vendas. Certamente, saber lidar com os funcionários, saber treinar e envolver toda a equipe, ter conhecimentos sobre fluxo de caixa, gestão de estoque, marketing, noções de impostos, tudo isso contribui para o desempenho dos negócios.  Mas, se é certo que pessoas mais persistentes tendem a se comprometer mais com projetos de longo prazo, a lidar melhor com expectativas frustradas e podem ser mais flexíveis a um cenário econômico em que tudo pode mudar o tempo todo, aprendendo a se adaptar com mais facilidade, então poderíamos dizer que habilidades como Resiliência podem estar no conteúdo programático de treinamentos voltados à capacitação de franqueados, tanto quanto gestão financeira.

Para além das habilidades técnicas, as habilidades “humanas” são cada vez mais reconhecidas no mercado do trabalho. São as chamadas habilidades não-cognitivas, soft skills, ou competências socioemocionais. Enquanto competências, podem ser desenvolvidas, não são natas, nem são características restritas à personalidade. Ter estabilidade emocional e ser capaz de gerenciar conflitos são competências esperadas em quem opera um negócio.

Autogerenciamento, ou autoconsciência, é fundamental para identificar as próprias emoções, desenvolver autoconfiança, reconhecer seus pontos fortes e fracos, controlar impulsos, saber lidar com situações de estresse, ter disciplina e automotivação. Já uma habilidade como gestão de relacionamentos desenvolve a consciência sobre respeitar os outros, apreciar a diversidade, um perfil comunicacional para lidar com pessoas diferentes.

Da mesma maneira, manifestar respeito pelas opiniões do outro, ser capaz de reconhecer as próprias emoções, com autonomia emocional, administrar conflitos e saber se colocar no lugar de outras pessoas, são habilidades que melhoram o convívio social.

Da mesma maneira como no mercado de trabalho a maior parte das contratações se deve às aptidões técnicas, ao currículo, enquanto a maior parte das demissões se deve ao comportamento, também no Franchising os problemas que envolvem relacionamento com franqueados podem estar mais relacionados a problemas comportamentais do que a um conteúdo específico. Neste sentido, destacamos a importância de treinamentos voltados ao desenvolvimento de soft skills, como comportamento empreendedor, liderança, ética corporativa.

A agilidade das mudanças organizacionais implica que aprender a aprender e ser flexível é cada vez mais imprescindível. Implica também a utilização de metodologias ativas de aprendizagem. Tirar os conceitos da teoria e promover mudanças comportamentais por meio de atividades vivenciais, lúdicas, experienciais, dinâmicas em grupo, jogos de negócios nas quais as equipes tenham de resolver problemas complexos e tomar decisões em grupo.

A conscientização sobre a relevância das competências socioemocionais no desenvolvimento gerencial torna-se necessária para uma formação integrada e integral dos franqueados.