Uma cultura de aprendizagem contínua para potencializar Franqueados e equipes

Quando os negócios sofrem algum abalo, como queda nas vendas, muitas empresas buscam treinamentos pontuais ou específicos na tentativa de solucionar a questão. Mas, para manter a competitividade, é preciso ir além: capacitação e desenvolvimento humano devem se tornar parte do DNA da marca, e isso tem sido feito por Franqueadoras de excelência que, cada vez mais, vêm investindo na estruturação de uma Universidade Corporativa.

Essa iniciativa permite fazer mais pelos novos Franqueados (treinamento inicial),  potencializar os resultados de Franqueados e gestores da unidade (reciclagem e especialização) e capacitar vendedores (habilidades técnicas e comportamentais). Por isso, o foco hoje é nas pessoas, no potencial delas, por meio de uma cultura do aprendizado que seja contínua, criativa e envolvente.

O aprendizado ocorre de verdade quando leva em conta as necessidades do time. Comecemos, então, pelo começo:

  • Quais os objetivos da Universidade Corporativa e de que maneira eles estão atrelados aos objetivos estratégicos da empresa?
  • Quais as reais necessidades de capacitação das equipes?
  • Quais os formatos e métodos mais adequados considerando as particularidades desses públicos?

Diante de um desafio de capacitar Franqueados para a operação do negócio, além do próprio desafio da agilidade – com cronogramas curtos para implantação de programas de treinamentos – há empresas que, erroneamente, optam em partir diretamente para a execução dos treinamentos, quando, no entanto, deixam de lado uma etapa essencial, como a análise da necessidade e dos objetivos desses programas, a análise dos perfis dos públicos. Desconsideram todo o contexto de produção, de utilização dos conteúdos e de engajamento.

Na universidade corporativa, o foco está no protagonismo e empoderamento das equipes. No Franchising, por exemplo, o que desejamos é transformar o Franqueado em um Líder! Ajudá-lo no desenvolvimento do seu pensamento crítico, para que possa tomar decisões assertivas no seu negócio.

Público adulto, empresário, há que se considerar que o Franqueado escolhe o que aprender conforme a sua necessidade. Conforme o que considera relevante para ele! Para isso é preciso conhecer as particularidades dos públicos internos, metodologias (de didática e também com os princípios da Andragogia – formação de adultos), e os desafios de negócio, trazendo propostas de conteúdos que sejam relevantes. Claro, tudo isso sendo apresentado em linguagem objetiva, direta, focada em dicas práticas (# sem tempo irmão).

Uma cultura de aprendizagem é aprimorada dia a dia, baseada em conteúdos e atividades estimulantes, focadas na inovação e na criatividade, conforme o ensino do futuro. Unindo estrategicamente novos recursos de Ensino a Distância, gamificação, à diversificação de experiências de aprendizagem, a tendência hoje é criar jornadas de aprendizado envolventes, recorrendo às inovações tecnológicas e à produção audiovisual.

Atualmente, atendendemos organizações como Claro, Alpargatas, Chilli Beans, DSM, entre várias outras, nossa equipe, na Praxis Business, temos nos dedicado com empenho à construção de Diagnósticos de Capacitação, à elaboração de Arquitetura de Aprendizagem, e a essa diversidade de experiências (como games, animações, webinars com especialistas, videoaulas customizadas, podcasts, talk shows, etc). Na universidade corporativa atual, aulas com um viés mais lúdico e interativo contemplam cenários, sons e estórias narradas onde os participantes podem se sentir imersos no ambiente virtual. A emoção interfere no processo de retenção da informação, pois ela reforça o processo de formação da memória. Por isso, cada vez mais, o aprendizado recorre a ferramentas da cultura digital.

A gamificação é um exemplo de prática que promove o envolvimento do time, pois envolve o jogo, a emoção, a conquista, a interação, e diverte. E engaja!

Um bom plano estratégico e um plano de ação evitam perdas orçamentárias e gastos desnecessários. A regra é ouvir as demandas das pessoas e da cultura que vivemos, aliados aos objetivos mercadológicos.

Neste momento em que todos somos cobrados da necessidade de desenvolver novas habilidades, vence quem melhor integrar necessidades das equipes e da empresa, fazendo crescer o negócio e todo o time para, então, oferecer o melhor ao seu público consumidor e trazer resultados comerciais efetivos.