Relacionamento com Franqueados e equipes

Construir relacionamentos √© o que d√° sentido √†s empresas organizadas em Redes. Ao mesmo tempo, essa constru√ß√£o de relacionamentos exige grande esfor√ßo para gerenciar emo√ß√Ķes e lidar com conflitos, e esta n√£o √© uma tarefa f√°cil. Franqueados investem suas economias, seu tempo, seus sonhos adquirindo um tipo de neg√≥cio que n√£o √© pr√≥prio, compram o direito de usufruir uma marca que n√£o √© sua. A Franqueadora, que det√©m a propriedade intelectual do neg√≥cio e a propriedade legal da marca, empresta seu sistema de neg√≥cio, seu ‚Äúknow how‚ÄĚ a empres√°rios com diferentes perfis, diferentes culturas e pontos de vista. As rela√ß√Ķes podem se tornar tensas e conflituosas quando os direitos e os deveres n√£o s√£o reconhecidos, quando falta alinhamento, h√° barreiras e ru√≠dos na comunica√ß√£o, falta de transpar√™ncia.

O especialista australiano Greg Nathan destaca tr√™s necessidades humanas que devem ser satisfeitas quando se fala de relacionamento no sistema de franquias: o senso de pertencimento; o respeito; o objetivo. As pessoas querem ser aceitas, querem ser ouvidas e respeitadas para sentir que est√£o sendo valorizadas e, a partir disso, desenvolver confian√ßa. E todas as pessoas trabalham por algum prop√≥sito, que precisa estar alinhado ao prop√≥sito das outras pessoas com quem se trabalha, em dire√ß√£o aos valores nos quais se acredita. Essas tr√™s necessidades, quando compreendidas e satisfeitas, geram o bem-estar nas rela√ß√Ķes.

Boa parte dos problemas de relacionamento em uma rede de franquias ocorre quando tais necessidades emocionais b√°sicas foram feridas ou negligenciadas. Assim, cuidar das necessidades dos franqueados √©, portanto, um dos pilares fundamentais para relacionamentos pr√≥speros. Todo franqueado quer ser bem-sucedido e conta com a equipe de profissionais da franqueadora para atingir esse objetivo, por meio de suporte. Outro objetivo √© o de ser ouvido, respeitado, envolvido em decis√Ķes importantes e que impactam no seu neg√≥cio.¬†

Anualmente, nossa Pesquisa de Benchmark: Gestão de Redes de Franquias aponta alguns dos fatores preponderantes para a construção de confiança:

  • Alinhamento geral de expectativas entre Franqueadora e Franqueados;
  • Canal de comunica√ß√£o aberto;
  • Regras do modelo de neg√≥cio claras e eficientes;
  • Respostas claras e com timing adequado aos questionamentos e solicita√ß√Ķes;
  • Suporte eficiente.

 

Vale mencionar também o estágio de maturação em que o franqueado está. Não é raro que o empresário inicie o negócio muito entusiasmado e, ao longo do tempo, ele se depare com algumas dificuldades e começa a se questionar sobre as taxas de royalties e a eficácia das campanhas de marketing, por exemplo. Depois, começa a acreditar que o sucesso do resultado depende somente de seus próprios esforços. E é aí que os conflitos começam.

Como em boa parte das famílias, do mesmo modo, os conflitos existem porque as pessoas pensam diferente. Saber como falar e se comportar com cordialidade, sobretudo diante de pressão, é fundamental. Tentar mudar o pensamento do outro, nutrir sentimento de vingança, como em qualquer relação, não costuma trazer bons resultados. Promover a habilidade de escuta, compartilhar valores e alinhar expectativas são atitudes que estabelecem a confiança.